O Guerreiro de Aukazland by César Costa

Fantasia Medieval, Aventura, Monstros

O guerreiro de aukazland

 Se você  já jogou RPG, sabe que cada ação pode acarretar conseqüências inesperadas e inusitadas. Neste livro onde os mestres do jogo são a sorte e o destino, um jovem guerreiro, chamado Pistorius se vê obrigado a lutar para escapar das mais adversas situações.
     Com estranhos poderes esse jovem consegue superar obstáculos e mostrar seu valor a cada combate, criando assim uma legião de admiradores por onde passa. Orientado pelo mago Kitle, Pistorius embarca em uma aventura que tem como objetivo encontrar um cristal que é peça fundamental para evitar a eclosão de uma guerra.
          Quando todas as peças parecem se encaixar prepare-se, pois o mestre do jogo revela uma nova pista que levará Pistorius a saber a verdade sobre si, sua família e sobre o destino do mundo.
           Gênero: Fantasia Medieval

Genre: FICTION / Fairy Tales, Folk Tales, Legends & Mythology

Language: Portuguese

Keywords: César Costa, Aukazland, Fantasia, Medieval, Orcs, Ogros, Elfos

Word Count: 83449

Sales info:

Livro publicado pela Editora Novo Século, uma das maiores do Brasil, com uma venda de cerca de 600 exemplares físicos. Na Amazon ficou à venda por um tempo, depois foi retirado, retornando agora.

Resenha:

http://asasliteraria.blogspot.com.br/2012/06/resenha-de-livro-o-guerreiro-de.html

 


Sample text:

Meu nome é Pistorius, sou apenas um velho agora e, finalmente, tenho a possibilidade de trocar a espada pela pena para registrar as coisas que vi e vivi, de modo a permitir que minhas futuras gerações possam saber quem eu sou. Apesar de já haver passado muitos anos desde os fatos que irei relatar, ainda consigo, com algum esforço, recordar como tudo aconteceu. Era apenas um jovem com dezenove anos, porém naquela época, essa já era a idade suficiente para um rapaz como eu se tornar um guerreiro. Minha mãe e eu vivíamos em uma aldeia muito isolada, um lugar de pessoas hospitaleiras e pacatas, uma vila chamada Aukazland. Levávamos uma vida boa, cercados de amigos que, devido à convivência harmoniosa que tínhamos, eram como uma parte de nossa família.

Tínhamos uma vida normal e pacata, nosso dia a dia não exigia mais do que as tarefas no campo, cuidar dos animais, caçar, pescar. As mulheres da vila passavam seu tempo cuidando da casa e ensinando as crianças a fazerem os serviços domésticos: Sim, até mesmo os garotos em Aukazland aprendiam a cuidar de um lar, cozinhar, costurar, fabricar peças de argila, entre outras coisas. Isso era necessário devido ao fato de que muitos acabavam partindo para as guerras e precisavam saber como realizar as tarefas mais básicas. Os homens da vila, por sua vez, além de proverem o sustendo do lar, ensinavam as crianças como combater, manejar espadas, lanças, fundas, arco e flecha. Essa educação, no entanto, não era dada às meninas, consideradas puras e sagradas demais, para serem corrompidas com o ensino da arte de matar e guerrear. Eventualmente, após adultas, as que quisessem poderiam aprender tal atividade.


Book translation status:

The book is available for translation into any language except those listed below:

LanguageStatus
English
Already translated. Translated by Francisco Noronha

Would you like to translate this book? Make an offer to the Rights Holder!



  Return